Por vezes esqueço-me. Por vezes esqueço-me do mais importante. Por vezes esqueço-me das pessoas. Por vezes esqueço-me das pessoas com quem trabalho, com quem vivo, com quem convivo. Por vezes esqueço-me.
 
Untitled design
 
Por vezes esqueço-me da Sandra. Esqueço-me da tua compreensão, do teu olhar, da tua presença, do teu amor, do teu toque, da tua respiração. Por vezes esqueço-me. 
 
Por vezes esqueço-me das minhas 3 filhas. Esqueço-me de brincar com vocês filhas, de aparvalhar, de ser mais flexível. Por vezes escapa-me o momento certo. Por vezes esqueço-me.
 
Por vezes esqueço-me dos meus amigos.
Esqueço-me de correr contigo Paulo Picão, de te dizer que és um companheiro sempre presente nas subidas e nas descidas da montanha da vida. 
Esqueço-me de saltar falésias incríveis na praia contigo Hélder Malhão, de fugir às ondas quando o tempo não existe. 
Esqueço-me de ir ter contigo a Sagres, Bruno Carvalho, de colocarmos o fato de mergulho num saco e explorarmos praias inacessíveis, de nos aventurarmos em ondas de força incalculável. 
Esqueço-me das palhaçadas cantadas vezes sem conta contigo Hélder Vilhena, do tamanho do teu coração e das aventuras em Milfontes. 
Esqueço-me de pegar na viola e de sentir os acordes apaixonantes tocados por ti em qualquer lugar Nuno Moas, da tua coragem em pegares no teu talento e seguires o teu sonho. 
Esqueço-me das tuas risadas quando erámos miúdos Maria João, e caminhavamos por entre a caruma da mata como dois irmãos.
Esqueço-me do propósito diário com que fazes as coisas acontecerem Lígia Silva, esqueço-me por vezes de te apoiar, esqueço-me de valorizar a tua grandiosidade quando tocas de forma única o meu coração e o dos outros.
Esqueço-me da tua disponibilidade incrível em estares sempre lá Rui Beirão, da tua capacidade única em ajudares o próximo, do teu sorriso.
Esqueço-me dos teus ensinamentos sobre como escolher o significado certo quando tudo se perde na vida, Daniela Tendinha, da veia continuamente sonhadora que em ti pulsa.
Esqueço-me da tua leveza e inspiração quando unes as pessoas nas tuas danças circulares Fátima Santos e tocas de forma sagrada cada pessoa.
Esqueço-me da tua força concretizadora e das tuas gargalhadas contagiantes Gualter Ferreira, da tua forma única de te relacionares com as pessoas.
Esqueço-me da tua coragem e liderança Ramiro Santos, da tua operacionalidade despenteada e divertida Marilia Lopes, da tua coragem despercebida Mariana Monteiro, da tua vontade de ser mãe Isabel Martins, da tua abstração divertida Marcos Leal.
Esqueço-me do teu talento único Pedro Lizardo em encontrares a música certa para a unires com a frase e imagem certa nos vídeos brutais que constróis.
Esqueço-me da tua criatividade e clareza esclarecedora para criares imagens lindíssimas para nós Gonçalo Santos. Esqueço-me tanto das pessoas.
Esqueço-me das tuas palavras poéticas Olívia Santos, dos teus discursos inspiradores Nuno Rodrigues, da teu momento de libertação no retiro Maria Santos, da tua força em autoestradas de esperança Pedro Rosa Oliveira, de colocares as tuas mãos na terra para tudo florir Matilde Cordeiro, de um dia me teres desafiado para me tornar num public speaker Pedro Vieira, do poder da transformação Daniel Sá Nogueira, da tua verdade Nuno Silva, dos teus saltos de felicidade contagiante Cristina Tendinha.
São tantas as pessoas. Tantas.

Por vezes esqueço-me do mais importante. As pessoas. O mais importante. Sempre.

 
 
Mário Caetano
 
Coach & Palestrante Inspirador